Texto Curatorial | El Bosque I
Berlim, Alemanha | 2006
Katharina Orellano

O projeto “El Bosque” de Victor Lema Riqué tem sua fonte de inspiração num texto, “99% de Umidade e Algumas Moléstias Lombares”, escrito pelo artista em 2005. No centro desse texto de tom surreal, encontramos um protagonista fechado dentro de seu próprio apartamento. Ele tenta de várias formas proteger-se de uma forte umidade que penetra do exterior e que atinge, inclusive, o seu interior físico e sua moral. Com idéias engenhosas e quase absurdas procura esquivar ou driblar a umidade. Atitudes surpreendentes que fazem lembrar Kafka e Cortázar.

Por tanto , o projeto “El Bosque” começa com um confronto entre o isolamento humano e os contatos sociais. Neste caso o isolamento é a recusa a qualquer tipo de ajuda. Nos “tableaux” (conceito interpretativo livre que une desenho e pintura) e nos videos que integram o projeto, o aspecto visual é coerente com o texto, seja de forma direta ou indereta. Observamos uma relação concreta entre as duas formas artísticas de expressão. Tanto uma, quanto a outra, chegam até a solidão do cidadão “Grosstadtmensh”. Nos videos performáticos realizados com a atriz Ondina Castilho, encontramos atitudes repetitivas, obsessivas e quase neuróticas. A primeira vista, os “tableaux”, sempre fragmentados em duas partes, parecem familiares, mas depois de certo tempo resultam estranhos. Os motivos são sempre figuras arquitetônicas compostas de blocos construtivistas e futuristas. Lugares vazios e abandonados. A ausência do ser humano é uma identidade geral sem definição. Podemos imaginar serem ministérios, gabinetes, espaços públicos, fábricas, etc. Mas, quem ocupa esses espaços…?

Nos “tableaux” de Lema Riqué existem relatos escondidos e fugas a descobrir. O caso não é superficial. O jogo sutil do claro-escuro e as projeções urbanas criam efeitos ameaçadores. Observamos, de forma livre, uma certa familiaridade com Fritz Lang e o expressionismo alemão. A visão sórdida e sombria da loucura e da grandeza, está presente mais uma vez, “Grossenwahn”. Victor Lema Riqué da um passo a mais depois do colapso… o vazio depois da festa.

 

Lucia Katharina Orellano, 2006